Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
FB   SetaRANKING SetaSala de imprensa SetaBusque Assessorias
 
 
Release
Bookmark and Share      

17/10/2017 - 09:23 - Vervi Assessoria e Comunicações
Conselho Pró Ativo e sua capacidade de agregar valor à empresa
Conselho Pró Ativo e sua capacidade de agregar valor à empresa - VERVI ASSESSORIA E COMUNICAÇÕES

Por Paulo Evaristo U. da Carvalhinha ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br


O “Conselho” é o principal elemento do sistema da Governança Corporativa, é um órgão colegiado que decide os rumos do negócio. Uma distorção frequente é considerar o Conselho como um órgão apenas consultivo, chegando até a buscar peritos específicos ao recrutar membros para seus conselhos (“conselheiros”). O Conselho é um órgão decisório e seus membros são os responsáveis pela direção da empresa. Neste sentido a expressão em inglês parece mais adequada, ao representar com maior fidelidade suas atribuições: “Board of Directors” (DIRETORIA) para o Conselho de Administração e “Directors” ou DIRETORES para os conselheiros. Sendo que os executivos fazem parte do “Management”, e o principal executivo é o C.E.O. (Chief Executive Officer ou Chefe dos Executivos) ao invés de Presidente como ditaria a velha tradição latina de “Doutores” e “Presidentes” para rotular conhecimento e liderança. Essa confusão pode ocorrer até pelo substantivo usado: pois conselheiro, obviamente daria “conselhos”, e depois viria alguém para tomar as decisões. Essa seria, sem dúvidas, uma forma muito pobre da contribuição do Conselho de Administração; não condiz com as melhores práticas e eventualmente não seria capaz sequer de compensar seus custos.

Toda empresa deve ter um Conselho de Administração eleito pelos sócios e que deve sempre decidir em favor do melhor interesse da organização como um todo, independente de quem indicou ou elegeu seus membros. Na prática o Conselho é o elo entre a Propriedade e a Gestão e orienta a relação dos sócios e gestores com as demais partes interessadas.

Governança Corporativa, por sua vez, é a forma pela qual as empresas são dirigidas, controladas e envolve o relacionamento entre proprietários (acionistas/quotistas), conselho de administração, diretoria executiva e demais partes interessadas (stakeholders) e em última instância, trata de como se estabelece o equilíbrio e a distribuição de poder entre esses protagonistas.

O Conselho Consultivo é uma boa prática, sobretudo para organizações no início de desenvolvimento da Governança Corporativa, ele permite que conselheiros profissionais contribuam para a organização e melhorem gradualmente sua Governança. É muito comum no caso de empresas fechadas a participação ativa dos sócios nos negócios; e ao adotar as melhores práticas de governança estruturam um conselho formado por conselheiros profissionais atuando junto com os sócios. Nesse caso é fundamental que os papeis, as responsabilidades e o campo de atuação dos conselheiros sejam bem definidos e que os processos decisórios sejam orientados para tirar proveito dos benefícios de um órgão colegiado, buscando a convergência nas decisões. Independente do Conselho estar previsto ou não no Estatuto Social sua atuação deve ser pautada pelos mesmos princípios e suas atribuições devem se aproximar tanto quanto possível das atribuições plenas do Conselho de Administração.

Membros do Conselho são responsáveis por certificar que os planos cumpram o propósito central da organização, fazendo melhor uso dos recursos disponíveis; ajustando pontos fortes da organização às oportunidades externas. Cabe ao Conselho zelar pelos valores da organização e fixar diretrizes estratégicas para gestão. A diretoria executiva prepara e desenvolve o plano estratégico dentro de diretrizes discutidas com o conselho e, após aprovação, deve conduzir os negócios alinhados com esse planejamento.

O Conselho não vem apenas para fiscalizar a gestão; mas criar condições para o desenvolvimento estratégico, relacionando questões de desenvolvimento de recursos e estruturas que suportem a estratégia. O conselho atuando de forma proativa, integrada com a gestão sem perder a independência dirige o foco em atividades capazes de criar valor para as empresas.

*Paulo Evaristo U. da Carvalhinha é Conselheiro profissional certificado, com mais de 10 anos participando de conselhos como presidente, conselheiro ou membro de comitês. Engenheiro de produção, pós-graduado em Finanças & Marketing pela FGV e mestrado em Governança Corporativa; atuou por mais de 30 anos como executivo e CEO em empresas multinacionais.

Data de inclusão: 17/10/2017
Fone: (11) 25780422
Contato: SimoneBertelli
Empresa: Vervi Assessoria e Comunicações
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Nacional]
Este Release foi visto 196 vezes

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
egoi
 
Alguns veículos cadastrados no clipping:
midias
 
 
 
 
 
 
  editora  

INCorporativa Comunicação

Publique seu livro - Saiba mais
   
       
       
       
 
       
 
Institucional
Quem Somos
Política Privacidade
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook Twitter
Linkedin ME Adiciona
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.