Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
FB   SetaRANKING SetaSala de imprensa SetaBusque Assessorias
 
 
Release
Bookmark and Share      

18/10/2017 - 14:02 - C4 Comunicação
Ministério Público abre inquérito contra o azeite Lisboa após teste da Proteste
Ministério Público abre inquérito contra o azeite Lisboa após teste da Proteste - C4 COMUNICAÇÃO

A marca foi considerada fraudada em teste realizado pela Associação ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
Nesta terça-feira, 17, recebemos a informação que o Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou um inquérito civil contra a marca Lisboa com base na denúncia feita pela PROTESTE – Associação de Consumidores – no seu teste com azeites, em março deste ano.

Segundo o teste realizado pela Associação, a marca Lisboa foi considerada fraudada, ou seja, foi comprovada a adição de outros óleos de sementes oleaginosas ao produto, o que não é permitido por lei. Além disso, a análise sensorial mostrou que se tratava de um azeite lampante – tipo de azeite que não deve ser usado na alimentação. E, sendo assim, foi reprovada pela PROTESTE bem como as marcas Tradição, Torre de Quintela, Pramesa e Figueira da Foz, que apresentaram o mesmo problema da fraude.
Na última semana também foi instaurado um inquérito civil, com base no teste da PROTESTE, contra a marca de azeite Figueira da Foz.

O teste de azeites já foi realizado outras 5 vezes pela PROTESTE. Todos por laboratórios credenciados pelo MAPA (Ministério da Agricultura) e pelo COI (Conselho Oleícola Internacional), portanto seguem, rigorosamente, as metodologias e os parâmetros estabelecidos pelas legislações aplicáveis.

As marcas testadas este ano foram: Andorinha, Borges, Beirão, Broto Legal Báltico, Carrefour Discount, Carbonell, Cardeal, Cocinero, Figueira da Foz, Filippo Berio, Galo, La Española, La Violetera, Lisboa, O-Live, Pramesa, Qualitá, Renata, Serrata, Taeq, Tradição e Torre de Quintela. Confira a pesquisa completa no site https://www.proteste.org.br/alimentacao/azeite/teste/comparacao-de-azeite/results.

Diante das irregularidades encontradas, a PROTESTE enviou os resultados do teste ao Ministério da Agricultura, à Secretaria Nacional do Consumidor e ao Ministério Público, solicitando potencializar as ações de fiscalização para esses produtos.

Em junho deste ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a distribuição e comercialização de um lote do azeite de oliva extravirgem da marca Lisboa, por apresentar características sensoriais, perfil de ácidos graxos e pesquisa de matérias estranhas acima das faixas recomendadas por lei para esse tipo de produto.

Agora, com bases nos resultados do teste feito pela PROTESTE, o Ministério Público investigará a marca Lisboa. A PROTESTE continuará lutando para que os consumidores tenham os seus direitos assegurados.

Data de inclusão: 18/10/2017
Fone: (11) 0020202020
Contato: Flavia Santana
Empresa: C4 Comunicação
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Alimentação-Gastronomia-Culinária][Defesa do Consumidor]
Este Release foi visto 144 vezes

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
egoi
 
Alguns veículos cadastrados no clipping:
midias
 
 
 
 
 
 
  editora  

INCorporativa Comunicação

Publique seu livro - Saiba mais
   
       
       
       
 
       
 
Institucional
Quem Somos
Política Privacidade
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook Twitter
Linkedin ME Adiciona
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.