Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
FB   SetaRANKING SetaSala de imprensa SetaBusque Assessorias
 
 
Release
Bookmark and Share      

31/01/2018 - 15:18 - DOC Press
Sociedade de Ortopedia se manifesta sobre denúncia de reuso de material cirúrgico
Sociedade de Ortopedia se manifesta sobre denúncia de reuso de material cirúrgico - DOC PRESS

A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOT vem a público manifestar preocupação diante das notícias veiculadas pela imprensa que apresentam médicos do Espírito Santo, integrantes desta sociedade, como se praticamente já tive ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOT vem a público manifestar preocupação diante das notícias veiculadas pela imprensa que apresentam médicos do Espírito Santo, integrantes desta sociedade, como se praticamente já tivessem sido julgados e condenados pela utilização de produtos cirúrgicos reciclados, embora tenham sido somente acusados e a apuração dos fatos esteja em andamento.
A SBOT alerta que os profissionais foram alvo de uma denúncia anônima, no momento sendo apurada pelas autoridades policiais e que os acusados garantiram em seu depoimento que “nunca forneceram materiais, produtos ou serviços inapropriados para uso devido, a quaisquer de seus clientes”.
A SBOT condena toda e qualquer prática ilegal, valoriza a conduta ética, tema que consta inclusive da prova de título a que submete os ortopedistas, mas não concorda com a condenação pela imprensa de profissionais antes mesmo que apresentem sua defesa.
A propósito, é necessário lembrar que, ao contrário do que foi divulgado pela imprensa, o reuso de determinados materiais, desde que tenha registro ANVISA e depois de devidamente esterilizados, é prática autorizada pelas autoridades sanitárias de vários países, inclusive no Brasil pela ANVISA que, na RDC/ANVISA 156 de 11/8/2006 dispõe sobre o registro, rotulagem e reprocessamento de produtos médicos e estabelece na RE/ANVISA 2606 diretrizes para elaboração, validação e implantação de protocolos de reprocessamento de determinados produtos médicos que não constem na RE/ANVISA 2605, que estabelece a lista de produtos médicos enquadrados como de uso único e proibidos de ser reprocessados. Em 15/3/2012 a RDC/ANVISA 15 estabeleceu os requisitos de boas práticas para o processamento de produtos para a saúde.
Outro requisito fundamental é que os produtos para saúde utilizados no país tenham Registro ANVISA.
A SBOT lembra ainda que como os insumos de Medicina são caros e muitos deles só são produzidos no exterior, é importante a prática da reciclagem e do reuso, desde que autorizada pelas autoridades sanitárias.
A própria ANVISA já se manifestou anteriormente sobre o tema: “alguns produtos para a saúde podem ser utilizados mais de uma vez, serem reprocessados, em condições de segurança, prática que lhes confere maior vida útil e uso enquanto apresentarem eficácia e funcionalidade. Há normas que regulamentam essa utilização contínua”.
Data de inclusão: 31/01/2018
Fone: (11) 55338781
Contato: José Luchetti
Empresa: DOC Press
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Defesa do Consumidor][Nacional][Saúde ]
Este Release foi visto 315 vezes

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
egoi
 
Alguns veículos cadastrados no clipping:
midias
 
 
 
 
 
 
  editora  

INCorporativa Comunicação

Publique seu livro - Saiba mais
   
       
       
       
 
       
 
Institucional
Quem Somos
Política Privacidade
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook Twitter
Linkedin ME Adiciona
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.