Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
FB   SetaRANKING SetaSala de imprensa SetaBusque Assessorias
 
 
Release
Bookmark and Share      

07/06/2018 - 15:26 - #Verbo Nostro Comunicação Planejada
Superior Tribunal de Justiça aprova novas Súmulas relacionadas aos Planos de Saúde
Superior Tribunal de Justiça aprova novas Súmulas relacionadas aos Planos de Saúde - #VERBO NOSTRO COMUNICAÇÃO PLANEJADA

O Superior Tribunal de Justiça publicou duas novas Súmulas relacionadas a Plano de Saúde, de nºs 608 e 609, aprovadas pela 2ª Seção de Direito Privado.
 ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
Acerca da Súmula 608, o entendimento firmado é no sentido de que o Código de Defesa do Consumidor se aplica aos contratos de plano de saúde, salvo nos contratos administrados por autogestão, conforme teor abaixo transcrito:
608. Aplica-se o Código de Defesa do Consumidor aos contratos de plano de saúde, salvo os administrados por entidades de autogestão.

Ressalta-se que a consolidação do entendimento adotado foi em razão de as entidades de autogestão não visarem lucro e constituir sistemas “fechados”, já que os planos que administram não estão disponíveis no mercado consumidor em geral, mas apenas a determinado e restrito grupo de beneficiários, fatos que afastariam a relação consumerista.

Em razão da publicação da Súmula 608, a Súmula 469 do Superior Tribunal de Justiça foi cancelada (Súmula 469. Aplica-se o Código de Defesa do Consumidor aos contratos de plano de saúde).

No que tange à Súmula 609, ficou consolidado que a recusa de cobertura securitária, sob a alegação de doença preexistente, é ilícita se não houver a exigência de exames médicos prévios à contratação ou a demonstração de má-fé do segurado, conforme transcrita abaixo:

“609. A recusa de cobertura securitária, sob a alegação de doença preexistente, é ilícita se não houve a exigência de exames médicos prévios à contratação ou a demonstração de má-fé do segurado”.

De acordo com os precedentes, ao deixar de verificar o efetivo estado de saúde do segurado quando da contratação, sem a exigência de exames médicos prévios, a seguradora assume os riscos decorrentes do contrato.

Portanto, somente poderá ser realizada uma negativa com a justificativa de doença preexistente, quando no ato da contratação foi exigido exame médico prévio, ou quando demonstrada a má-fé do segurado.

Os precedentes serão aplicáveis aos contratos de “plano de saúde” e “seguro saúde”, favorecendo, assim, os beneficiários e segurados dos planos de saúde.


Por Erika Louise Mizuno

Sócia - advogada do Escritório Brasil Salomão e Matthes Advocacia, com atuação na área Cível (Responsabilidade Civil, Direito do Consumidor, Direito Médico e da Saúde Suplementar).
Pós Graduanda em Direito Civil e Processo Civil – Unaerp
Ex-membro da Comissão de Bioética, Biotecnologia e Biodireito da 12ª Subseção da Ordem das Advogados do Brasil de Ribeirão Preto.
Ex-membro da Comissão de Direito Médico da 12ª Subseção da Ordem das Advogados do Brasil de Ribeirão Preto.
Data de inclusão: 07/06/2018
Fone: (16) 36108659
Contato: Verbo Nostro Comunicação Planejada
Empresa: #Verbo Nostro Comunicação Planejada
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Cidades][Geral][Jurídico-Legislação]
Este Release foi visto 387 vezes

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
egoi
 
Alguns veículos cadastrados no clipping:
midias
 
 
 
 
 
 
  editora  

INCorporativa Comunicação

Publique seu livro - Saiba mais
   
       
       
       
 
       
 
Institucional
Quem Somos
Política Privacidade
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook Twitter
Linkedin ME Adiciona
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.