Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
FB   SetaRANKING SetaSala de imprensa SetaBusque Assessorias
 
 
Release
Bookmark and Share      

14/08/2018 - 12:37 - #Mac Comunicação e Marketing
As perspectivas do turismo no Brasil
As perspectivas do turismo no Brasil - #MAC COMUNICAÇÃO E MARKETING

O Brasil é o quinto maior país do mundo, com uma extensão territorial de mais de 8,5 milhões de km², com litoral da ordem de 7.500 km, mais de 210 milhões de habitantes, números gigantes que o identifica, sob qualquer perspectiva, com um grande númer ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
O Brasil é o quinto maior país do mundo, com uma extensão territorial de mais de 8,5 milhões de km², com litoral da ordem de 7.500 km, mais de 210 milhões de habitantes, números gigantes que o identifica, sob qualquer perspectiva, com um grande número de opções turísticas para todos os gostos.

Mais da metade da população vive próxima ao litoral e, por isso, o país é definido como um destino de praia. As campanhas da Embratur parecem ficção, pois a especialidade da casa é criar slogans: “Brasil país de povo feliz”, “Amo viajar sozinha”, “Brasil braços abertos”, além de divulgar números estranhos como na recente Copa da Rússia, onde a propaganda do turismo nacional atingiu 300 milhões de pessoas....segundo eles.

Quando recorremos a números oficiais do Anuário Estatístico do Turismo 2018 vemos que os turistas dos países sul-americanos cresceram 11,1%, em comparação entre 2016 e 2017. No ano passado, foram 4,1 milhões de visitantes dos países vizinhos, contra 3,7 milhões em 2016. O estudo aponta ainda que, em 2017, 62,4% dos turistas estrangeiros que visitaram o Brasil vieram dos países da América do Sul. Ao todo, 6.588.770 visitantes internacionais estiveram no país em 2017.

Mais precisamente sobre a Argentina, no período compreendido entre 2014 até 2016, os hermanos receberam um número 5% maior de turistas, o que totalizou a soma de 6,2 milhões de pessoas e a expectativa é de aumento nesse número para 7,2 milhões até 2020 (fonte Embratur). Entretanto, no cenário sul-americano também estão crescendo no número de visitantes estrangeiros, o Chile e Colômbia.

Em relação ao número de turistas externos que visitam o Brasil, estacionado entre 6 a 6,5 milhões de visitantes, bastam pequenas comparações para se perceber a fraqueza dessa estatística. A torre Eiffel, em Paris, recebe, anualmente, cerca de 6 milhões de visitas. A estátua da Liberdade em Nova York, 7 milhões anuais, o México, 39 milhões de visitantes, Las Vegas, 42 milhões de turistas, certamente aficionados pelos cassinos.

“Cidades cheias de magia e vida”, assim as autoridades do turismo divulgam o Brasil lá fora. Além disso, vários “folders” de propaganda exploram imagens da mulher brasileira – na praia, de tanga ou no carnaval, quase nua. E ninguém toca no assunto segurança. As estatísticas de mortes violentas são divulgadas pela imprensa internacional pelos quatro cantos do mundo. E os números são absurdos.

No 1º semestre de 2018 a taxa de homicídios no país é 30 vezes superior em relação aos países da Europa. Só na última década, 553 mil brasileiros perderam a vida por morte violenta. Ou seja, um total de 151 mortes por dia, mais que qualquer guerra recente.

Os dados são do Atlas da Violência produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). O pior é que a violência impacta sobre todos os setores da sociedade, especialmente na economia que vai continuar patinando pelos próximos dez anos, seja quem for o presidente eleito em outubro.

A falta de credibilidade afasta investidores, a corrupção será, no máximo, reduzida um pouco, as guerras entre traficantes continuarão no cenário nacional, ao governo, em qualquer nível – federal, estadual ou municipal, não sobra dinheiro para investir no turismo, a propaganda ufanista não resolve porque o mundo já conhece o Brasil, país das pegadinhas, do roubo de celulares, das balas perdidas. Até o turismo interno é difícil pela insegurança e más condições nas rodovias, não há trens e as passagens aéreas são muito caras (mais barato é ir para Miami).

Estas são pinceladas da situação em que vivemos. Mas, tem carnaval, festas folclóricas o ano inteiro e, também, tem futebol. Para o brasileiro é o suficiente para viver dando risada, viver com alegria. Que o digam as pessoas que sofrem nas portas dos nossos hospitais e as que perdem filhos dentro das escolas. Agora, só falta a abertura de cassinos para a festa ficar completa.

www.grandeitu.com.br
Raul Machado Carvalho – Editor
grandeitu@grandeitu.com.br
Data de inclusão: 14/08/2018
Fone: (11) 5521-3483
Contato: Raul Machado
Empresa: #Mac Comunicação e Marketing
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Geral][Redes Sociais][Turismo ]
Este Release foi visto 725 vezes

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
egoi
 
Alguns veículos cadastrados no clipping:
midias
 
 
 
 
 
 
  editora  

INCorporativa Comunicação

Publique seu livro - Saiba mais
   
       
       
       
 
       
 
Institucional
Quem Somos
Política Privacidade
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook Twitter
Linkedin ME Adiciona
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.