Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
FB   SetaRANKING SetaSala de imprensa SetaBusque Assessorias
 
 
Release
Bookmark and Share      

08/10/2018 - 11:12 - DOC Press
Em Fórum com a presença do procurador Deltan Dallagnol, diretor executivo do Ética Saúde fala sobre os avanços no combate à corrupção no setor
Em Fórum com a presença do procurador Deltan Dallagnol, diretor executivo do Ética Saúde fala sobre os avanços no combate à corrupção no setor - DOC PRESS

“Nosso objetivo é tornar o Instituto Ética Saúde um foro apropriado para trazer apoio e propostas íntegras para o combate da corrupção e falta de ética”, disse Gouvêa ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
O diretor executivo do Instituto Ética Saúde, Carlos Eduardo Gouvêa, foi um dos debatedores convidados do Fórum Ética em Medicina Diagnóstica, realizado no dia 28 de setembro, durante o 52º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial, em Florianópolis. Coordenado pelo presidente da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial, Wilson Shcolnik, o evento contou com palestras do procurador da República e coordenador da Operação Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, e do de Justiça em São Paulo e presidente do Instituto Não Aceito Corrupção, Roberto Livianu.
Deltan Dallagnol, aplaudido de pé pelos presentes, apresentou os números de agentes envolvidos em propinas e acordos escusos: 415 políticos e 26 partidos. O montante recolhido em atividades corruptas enriqueceu os envolvidos e financiou campanhas eleitorais. Na opinião do procurador, a Lava Jato faz o ‘diagnóstico’, mas o ‘tratamento’ costuma não vir. “A Lava Jato não tem heróis. Pode ser que a gente ganhe ou perca, mas o importante é lutar. Será preciso que a sociedade deixe de lado o vitimismo e arregace as mangas para escrever a biografia da nossa história”, disse. Ele destacou ainda atitudes desanimadoras como a libertação de alguns políticos envolvidos com corrupção pelas mãos de alguns juízes.
O procurador é um dos apoiadores do projeto “Unidos contra a Corrupção”, com a presença de diversos políticos fichas limpas e especialistas de instituições idôneas. O Instituto Ética Saúde pretende se tornar parceiro do movimento, com o qual já está em tratativas.
A palestra do promotor de Justiça de São Paulo e presidente do Instituto Não Aceito Corrupção também teve grande repercussão. Roberto Livianu lamentou o episódio das “Dez medidas contra a corrupção”, que o Congresso Nacional triturou”, aproveitando do momento da dor pela tragédia provocada pelo acidente do avião da Chapecoense, e citou o “conchavo” do dia 22 de novembro de 2016, que anistiou os atos ilícitos do caixa 2 eleitoral. “Foram páginas lamentáveis da história do Brasil! Logo depois da aniquilação de um documento de iniciativa popular, o presidente da Câmara afirmou que se tratava de uma decisão democrática”.
O promotor também destacou a desigualdade social. “A corrupção mata! Verbas que seriam destinadas à saúde são desviadas. O dinheiro não chega às escolas públicas”, finalizou. O Instituto Ética Saúde tem Acordo de Cooperação firmado com o Instituto Não Aceito Corrupção.

Ética na Saúde
Carlos Eduardo Gouvêa contou um pouco do histórico do Instituto Ética Saúde e reforçou que diversos elos da cadeia de valor da Saúde compõem o projeto, entre eles fabricantes e distribuidores de produtos para saúde, hospitais, laboratórios e entidades médicas. “O IES surgiu de um pacto setorial para coibir fraudes e práticas de corrupção no segmento”, lembrou.
O diretor executivo do Instituto frisou os avanços nas parcerias com importantes agentes: “Já temos Acordos de Cooperação firmados com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), o Tribunal de Contas da União (TCU) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Em breve vamos ampliar para Ministério Público de São Paulo e a Controladoria Geral da União (CGU). Nosso objetivo é tornar o IES um foro apropriado para trazer apoio e propostas íntegras para o combate da corrupção e falta de ética, além de educação sobre o tema bem como o reconhecimento do setor”, concluiu Gouvêa.
Também estiveram na mesa de debates Ademar José Paes Jr, da Associação Catarinense de Medicina – ACM; Claudia Cohn, da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica – ABRAMED; Luiz Fernando Barcelos, da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas – SBAC e Roberto Luiz d\'Avilla, ex-presidente do Conselho Federal de Medicina – CFM.
Data de inclusão: 08/10/2018
Fone: (11) 55338781
Contato: José Luchetti
Empresa: DOC Press
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Defesa do Consumidor][Nacional][Saúde ]
Este Release foi visto 309 vezes

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
egoi
 
Alguns veículos cadastrados no clipping:
midias
 
 
 
 
 
 
  editora  

INCorporativa Comunicação

Publique seu livro - Saiba mais
   
       
       
       
 
       
 
Institucional
Quem Somos
Política Privacidade
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook Twitter
Linkedin ME Adiciona
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.