Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
  SetaSALA DE IMPRENSA FB
 
 
Release
Bookmark and Share      

09/11/2020 - 10:34 - Ricardo
Sabe trabalhar em equipe? Esta será uma das habilidades mais valorizadas pela alta gestão pós-pandemia
Sabe trabalhar em equipe? Esta será uma das habilidades mais valorizadas pela alta gestão pós-pandemia - RICARDO

Pesquisa inédita do PageGroup na América Latina revela o que
os líderes esperam de seus funcionários com o fim do surto de covid-19
 ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
Se você não trabalha em equipe ou não tem uma comunicação assertiva, saiba que suas chances de ascensão na carreira ficarão reduzidas. É o que revela o levantamento inédito Habilidades 360°, desenvolvido pelo PageGroup, consultoria líder mundial em recrutamento executivo especializado, que opera com as marcas Page Executive, Michael Page, Page Personnel, Page Outsourcing e Page Interim na região. De acordo com a pesquisa, entre as habilidades mais requisitadas e valorizadas pelos líderes de grandes empresas da América Latina figuram o trabalho em equipe (47,5%), inteligência emocional (33,8%), comunicação assertiva (28,8%), domínio de um segundo ou terceiro idioma (36,8%) e de análise estatística (32,7%).

De acordo com a pesquisa, as habilidades comportamentais receberão ainda mais relevância depois da crise, já que são importantes para a evolução dos negócios em momentos de instabilidade. Além disso, ainda segundo o levantamento, competências técnicas transversais - úteis às diferentes áreas da empresa - também serão promovidas entre os colaboradores, utilizando como base o pensamento lógico correspondente a uma nova realidade integrada.

Segundo Gil van Delft, presidente do PageGroup no Brasil, as transformações provocadas pela covid-19 estão redesenhando o olhar do mundo do trabalho. "Gerenciar com a incerteza, adaptar-se rapidamente e entender a mudança como uma constante são os três principais aprendizados que sociedade, organizações e pessoas tiveram que aprender com a pandemia. Então, nunca foi tão importante entender quais as são as habilidades mais demandadas no novo cenário e como recrutar e selecionar esses talentos ", analisa.

Participaram do levantamento, realizado em setembro deste ano, 3 mil executivos de cargos de alta e média gestão no Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia e México.

Habilidades mais valorizadas em grandes empresas

Entre as habilidades técnicas mais valorizadas por lideranças de grandes empresas da América Latina estão ser bilíngue ou trilíngue (36,80%); ter domínio de processamento de dados (32,80%) e de análise estatística (32,70%). Já entre as habilidades sociais mais valorizadas, estão o trabalho em equipe (47,50%); a inteligência emocional (33,80%) e a comunicação assertiva (28,80%).

“Como reflexo da pandemia de covid-19, essas habilidades serão ainda mais reconhecidas, principalmente as que agregam em diferentes áreas e as que se relacionam diretamente ao mundo virtual, já que os novos modelos de trabalho, como o home office, provocaram a digitalização acelerada de diversos segmentos”, destaca Gil.






Brasil valoriza inteligência emocional; demais países priorizam trabalho em equipe

No Brasil, as habilidades mais valorizadas são a inteligência emocional (42,9%), o trabalho em equipe (38,4%) e a comunicação assertiva (31,1%). No restante da América Latina, a habilidade mais valorizada é o trabalho em equipe, aparecendo com maior destaque na Argentina (62,2%), seguida pelo Chile (55, 1%), Colômbia (50%), México (45,2%) e Peru, com 36,3%.

“O cenário reflete a necessidade dos profissionais saberem equilibrar diferentes emoções em meio a imprevistos e dificuldades dos contextos que podem vir a enfrentar. A inteligência emocional gera um diferencial competitivo, já que favorece um ambiente com menos conflitos e mais racionalidade”, analisa o executivo.

61% dos empregadores da América Latina têm dificuldade em encontrar talentos

As empresas continuam enfrentando muitos desafios na hora de contratar, mesmo com o desemprego em alta por conta da pandemia. De acordo com Gil van Delft, as companhias devem olhar ainda mais para um conjunto de habilidades técnicas e comportamentais para selecionar o talento apropriado, em meio a um cenário em que a escassez de perfis com essas características é uma constante”. Segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), a demanda por profissionais representa um problema para dois em cada cinco empregadores na América Latina. Entre os países com maior dificuldade em encontrar talentos com as competências comportamentais necessárias, estão a Argentina (76,9%), o Brasil (65,1%) e o Peru (65,5%).

Entre os motivos destacados pelos executivos para encontrarem dificuldades na contratação, 61% dos empresários da América Latina afirmaram que a principal razão para uma vaga ser preenchida é porque os candidatos não possuem as competências comportamentais necessárias para assumir a posição; para 40%, os candidatos não possuem os conhecimentos técnicos exigidos; outros 24% dos empregadores disseram que os candidatos não têm a experiência necessária e 35% relacionaram a dificuldade da área de Recursos Humanos não encontrar o talento certo e o perfil desejado.

Habilidades mais difíceis de encontrar no mercado de trabalho

Na avaliação dos executivos pesquisados, 78% disseram que ter equilíbrio entre as competências comportamentais e técnicas seria essencial, já que permite às organizações lidarem melhor com momentos de crise e incerteza. Para 65%, obter melhores resultados econômicos (65%), enquanto 62% avaliam criar sinergias entre as áreas da empresa e 38,8% serem mais inovadoras (38,8%). No entanto, 80% dos executivos respondentes afirmaram que não contratariam um talento que atenda às competências técnicas, mas não às habilidades sociais exigidas.

Entre as habilidades comportamentais mais difíceis de se encontrar no mercado, estão a inteligência emocional (57%); a comunicação assertiva (42%); a resolução de conflitos(38,8%) e a liderança (33%).

Para reverter o cenário, 52% das empresas estão investindo em treinamentos.

Para desenvolver novos talentos, 52% das empresas da América Latina estão investindo no treinamento de seus funcionários, enquanto 40,4% estão redefinindo o perfil exigido nas vagas e outros 32% estão investindo em melhores processos de recrutamento e seleção para evitar a alta rotatividade devido à contratação de um talento não híbrido.

Brasil é o país da América Latina que mais investe na educação de profissionais

O domínio de habilidades técnicas e sociais durante os processos seletivos é uma estratégia que 64% das organizações na região estão implementando e que lhes permitem avaliar de forma abrangente o quão adequado é um perfil para uma posição específica. Seguindo essa lógica, o Brasil é o país que mais investe na prática, representando 62,4% das organizações. Na sequência, estão a Colômbia, com 60,6%, e o México, com 59,9%.

“A formação e a capacitação são essenciais para garantir que os níveis de rotatividade se mantenham em patamares saudáveis para as empresas e que os colaboradores tenham a integridade necessária para promover as equipes de trabalho e, ao mesmo tempo, entregar os resultados esperados pelos seus níveis técnicos”, diz Gil, do PageGroup.

Brasil lidera a falta de orçamento para desenvolver talentos híbridos

O contexto atual e novas formas de trabalho estão influenciando o dinamismo do mercado. Assim, os modelos de trabalho flexíveis têm maior relevância e o grande desafio da área de Recursos Humanos é investir em contratações mistas, que permitam às empresas terem equipes multidisciplinares e talentos híbridos.

O profissional híbrido é aquele que, ao mesmo tempo em que é especialista em um assunto, acumula habilidades e conhecimentos em diferentes áreas. A multidisciplinaridade está sendo cada vez mais valorizada pelas empresas, principalmente após a pandemia, já que sua atuação agrega valor aos diferentes segmentos que compõem a organização. No entanto, dois em cada cinco executivos dizem que encontrar profissionais com tais características é mais difícil hoje do que há 5 anos. Na corrida para desenvolvê-los, os principais desafios que os executivos enfrentam na América Latina são a falta de orçamento nas organizações (48,7%), a falta de tempo (47,2%) e a falta de programas de capacitação e treinamento nas empresas (36,4%).

No Brasil, o principal obstáculo é a falta de orçamento (60,9%), seguido da Argentina (56.4%) e do México (50,5%). A falta de tempo é o maior empecilho na Colômbia (58,3%) e no Chile (48,9%). Já no Peru, há falta de programas de capacitação e treinamento nas empresas (43,2%).

O estudo ainda aponta que talentos híbridos trazem algumas vantagens competitivas às organizações, destacadas no levantamento, como: lidar melhor com momentos de crise e incerteza (78,7%); obter melhores resultados financeiros (65%); atingir sinergias entre as áreas da empresa (62%); promover a inovação empresarial (38,8%); ter melhor atendimento ao cliente (33%) e adotar novas tecnologias (7%).


Sobre o PageGroup

Fundado na Inglaterra em 1976, o PageGroup é um conglomerado formado por algumas das consultorias de recrutamento especializado mais respeitadas no Brasil e no mundo. Listado na bolsa de valores de Londres, está presente em 36 países.

Em sua gama de soluções para recursos humanos, oferece recrutamento de conselheiros e líderes executivos, alta e média gerência, e posições técnicas e de suporte à gestão. Além disso, conta com soluções para profissionais com deficiência, temporários e terceiros, bem como a execução de programas de talentos, RPO e recrutamento de alto volume.

Atualmente, os quase 8 mil colaboradores do grupo atuam em diferentes culturas e mercados, o que contribui para o conhecimento em 3 esferas: global, regional e local. No Brasil desde 2000, os consultores espalhados pelo país já realocaram mais de 52 mil profissionais.

INFORMAÇÕES DE IMPRENSA
Conteúdo Comunicação

Ricardo Morato (ricardo.morato@conteudonet.com)
Tel. (11) 5056-9844/ Cel. (11) 98799-5868

Marcella Motta (marcella.motta@conteudonet.com )
Tel. (11) 5056- 9823 / 55 11 99393-0539







Data de inclusão: 09/11/2020
Fone: (11) 50569800
Contato: Ricardo
Empresa: Ricardo
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [BOA NOITE SENHORES MEU NOME HACKER TO COBRANDO UMA COM TIA DE 2000.000 REAIS PARA DEPOSITA NA MINHA ][BOA NEITE SENHORES MEU NOME HACKER TO COBRANO UMA CONTIA DE 2000.000 REAIS PARA DEPOSITA NA MINHA CO][BOA NEITE SENHORES MEU NOME HACKER TO COBRANO UMA CONTIA DE 2000.000 REAIS PARA DEPOSITA NA MINHA CO]
Este Release foi visto 61 vezes

 

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
 
 
 
 
 
 
 
 
   
   
       
       
       
 
       
 
Institucional Quem Somos
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook
Linkedin
Twitter
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.